Lidando com o fracasso

Este ano foi de grandes conquistas e de fracassos catastróficos para mim. Destes, dois me marcaram: falhei como administrador de empresa e como namorado. Em ambos os casos minhas espectativas estavam lá no alto. Talvez por isso não tenha me preparado para tamanha queda.

Lembro da sensação, há 4 anos, de ter descoberto a solução para todos os meus problemas. Minha última escolha profissional havia se mostrado um fiasco e a frustração com o mercado era imensa, mas tinha ao meu lado gente competente que partilhava do meu desejo empreendedor. Era o momento perfeito e não poderia deixá-lo escapar.

Também lembro da sensação, há menos de 2 anos, de ter encontrado alguém tão surpreendente que justificaria qualquer loucura. A amizade virtual havia se transformado em amor real e meu mundo tinha sido balançado. Ela era perfeita, e eu não poderia deixá-la escapar.

Reuniões e mais reuniões com os futuros sócios se sucederam. S. usaria sua habilidade com as palavras para lidar com os clientes, R. seu vasto conhecimento tecnológico, M. faria o trabalho administrativo para manter a empresa nos trilhos e eu o trabalho criativo. Perfeito! Mas não demorou para os primeiros problemas aparecerem.

Viagens e mais viagens para nos encontrarmos se sucederam. Fazíamos malabarismos financeiros para isso, mas cada minuto junto fazia tudo valer à pena. A distância era ruim, mas mantínhamos o foco no futuro que havíamos planejado e que tanto merecíamos. Não era perfeito, mas estava prestes a ser. Mas também não demorou para certos problemas aparecerem.

Alguns sócios perceberam que não era aquilo que queriam da vida. E não há argumento algum contra isso. Mas eu e M. tínhamos sinergia o suficiente para enfrentarmos os desafios e fazermos um bom trabalho. Éramos empresários de primeira viagem e toda novidade era instigante, mesmo que nos fizesse perder noites de sono e prejudicasse nossa vida social (e pessoal).

Algumas pessoas resolveram que nós não deveríamos ficar juntos e tentaram nos sabotar. E não há como argumentar com quem sequer assina os e-mails que envia. Nunca havíamos namorado à distância e era tudo mais difícil do que pensávamos. Queríamos ficar perto e em certos momentos atéprecisávamos estar perto, mas nem sempre era possível. Assim, passávamos mais noites em claro pensando no que nos aguardava. Daria tudo certo ou já tínhamos nos prejudicado demais?

Então, pequenos problemas se mostraram não tão pequenos assim. Aquilo que não era resolvido, disfarçava-se nos custos variáveis e no inconsciente, esperando a hora imprópria de vir à tona como a ameaça que sempre havia sido de fato. E se quando menores já não tinham uma solução fácil, agora eram praticamente impossíveis de serem resolvidos. Eram precisos recursos e muita disposição de todas as partes para recuperarmos o fôlego, mas não deu.

Falhei. Falhamos. E agora me entrego aos clichês para explicar o inexplicável. Foi bom enquanto durou. Melhor me arrepender do que fiz do que o que não fiz. Uma hora isso passa.

Eu sei que passa. Mas depois que passa, o que fica? A experiência? Ou a vontade de fazer tudo de novo? Acho que eu faria tudo de novo. Mas errando menos da próxima vez. E você?

Anúncios
Postado em Fim

8 comentários sobre “Lidando com o fracasso

  1. Félio,
    ainda bem q vc ativou o comentário. Estava doida pra comentar nesse negocio. Primeiramente, gosto do jeito q vc escreve…tem muito jeito pra coisa. Segundamente, acho que antes de a gente acertar de vez, há muito o que errar nessa vida. E o bom é tentar enxergar os erros como acertos…afinal, as vezes a gente acerta e n foi nem por sabedoria, mas por pura sorte. Vc verá que quando acertar saberá que tem muita sabedoria por trás. E isso vai te dar muito mais prazer….um bjao!

    Curtir

  2. Você perguntou o que fica, não sei o que fica para vc, mas pra mim sempre fica a experiencia, as vezes a vontade tmb, mas tudo que passamos pela vida serve de aprendizado. Da próxima vez que for namorar de novo ou ser administrador de novo com certeza não vai cometer os mesmos erros, e se cometer é pq ainda não aprendeu tudo que tinha para aprender.
    Então não se culpe tanto pelos seus erros, veja neles um caminho para o aprendizado. Não deixe de se arriscar por medo de errar, pois esse é o maior erro que vc pode cometer e esse erro é o mais difícil de concertar.
    Percebe-se pelos textos, no geral, que vc se martiriza por seus erros, principalmente no seu namoro. Errar é humano, sei que essa frase já virou clichê, mas é a verdade. Felizmente não se ama só uma vez, vc vai encontrar outros amores, nenhum será como o outro e com certeza nenhum será como esse primeiro (nem sei se é o primeiro, mas parece), com cada um você vai aprender uma coisa diferente e quando vc parar para analisar a sua vida você vai ver o quanto aqueles erros foram importantes para a formação do que vc é.
    Não se culpe tanto se um relacionamento não deu certo, ou se um de seus planos não saiu como o planejado, apenas viva a vida tentando acertar, mas não se torne escravo desses acertos.
    Fui muito chata, desculpa ai qualquer coisa e bjos.

    Curtir

  3. Ei. Tudo passa e a experiência fica, mas a sensação que eu tive do seu texto é que parou por aí. É como se pra vc acabou e é isso aí.

    Não é isso aí Rafa, tudo passa, ficam as experiências mas a vida continua! NOVAS coisas começam a acontecer e o ciclo todo de tentar e falhar ou tentar e ter sucesso se repete.

    Não é pensar “eu faria tudo de novo mas cometendo menos erros”, e sim olhar pra frente e VIVER. “Eu faria tudo de novo” é olhar pra trás.

    A vida não pára qdo um ciclo de vida termina. Muito pelo contrário. O cliclo termina, vivemos aquele monento de nos recuperarmos, até um novo ciclo começar.

    Acho que vc ainda tá preso num ciclo da sua vida que já fechou. “eu faria tudo de novo” tem que ser substituido por ” eu vou fazer tudo novo”.

    Mas calma. Outro ciclo vai começar, outras experiencias profissionais grandes assim vão surgir e outros amores vão te encantar. Não deixa o momento de “transição” te engolir em nostalgia 🙂

    Pensa que 2011 vc pode TUDO. Literalmente. Tudo que terminou em 2010 te abre infinitas portas e possibilidades em 2011.

    Live and let live.

    Bjs Fortaleza!

    Curtir

  4. Tem duas frases do filme/livro Comer, Rezar e Amar que eu gosto muito:
    1) Cada pessoa que passa pela sua vida é um mestre.
    2) Das ruínas nasce a transformação(*).
    Reflita. bjuss

    (*) a borboleta é bem mais bonitinha que a lagarta 😉

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s