Mudanças por aqui

O Autocrítica ganhou presente de aniversário!

Agora o blog tem uma cara personalizada criada pelo Jorge Ferreira, que trabalhou comigo na minha época de empresário e hoje me enche de orgulho.

Ainda estamos em fase de testes, portanto, se encontrar algum erro pode me avisar, ok?

Espero que gostem. E aguardem textos mais frequêntes!

Abraços.

Dando sinal de vida

Sim, eu estou vivo! Mas o post seguinte está sendo bem mais difícil de escrever do que pensei.

Se eu sempre disse que este blog era uma terapia para mim, meu próximo texto vai levar isso ao pé da letra.

Se quiser ser informado (informada?) de atualizações no blog, siga-me no Twitter ou assine o RSS, ok?

Abraços.

Agora só ano que vem

Reveillon em Fortaleza

Juro que tentei escrever pelo menos mais um post antes do ano acabar, mas não deu.

Ficaram vários rascunhos, mas nenhum concluído. Mas não importa. Você provavelmente só lerá este texto, inclusive, depois das festas.

Sendo assim, desejo o melhor ano de todos para você. Espero que volte em breve para ler minhas maluquices. Como vou viajar para Fortaleza, provavelmente só voltarei a escrever depois do Reveillon.

Logo, nos vemos em 2011! Grande abraço =D

Reveillon Rio de Janeiro (dessa vez não)

Ah! E como conto nos dedos meus posts e as pessoas que participaram nos comentários, gostaria de agradecer a cada uma delas.

Um grande abraço para Kamilla, Augusto, Marília, Bianca, Roney do Meme de Carbono, Rita, Elane d‘A Engenhoca, Mariana, S.,  Gabi e Glacial.

Até breve!

Aquecendo a garganta e os tendões

Eu preciso escrever. Tanto quanto preciso diariamente de um picolé de limão de sobremesa. Eu simplesmente preciso.

E sempre alimentei essa minha necessidade de formas variadas. Já tive outro blog, mas o matei de fome. Já dissertei sobre as questões mais irrelevantes da comunicação social, que ninguém leu. Já escrevi cartas eletrônicas e analógicas para começar e terminar namoros. Em suma, sou um canalha letrado.

E de tanto rabiscar as paredes internas do meu juízo percebi que precisava transformar isso em bytes. Porém, lembro que minhas palavras sempre me transformaram em alvo de mim mesmo. Afinal, não sou digno de confiança se não gosto de Beatles, não sou um bom sujeito por não torcer para nenhum time e eu devo ser realmente muito infeliz por não acreditar em deus algum. Mas não posso críticá-los. Também adoro ter opinião sobre aquilo que desconheço.

Logo, resolvi pular etapas. Falarei eu mesmo sobre mim mesmo! Talvez alguém se identifique com minha visão distorcida do mundo, ou apenas ignore o fato de eu ser mais um blogueiro egocêntrico dentre tantos outros. Mas, desconhecendo a existência da autocrítica em muitos dos meus semelhantes, exercitarei meu “umbiguismo” com todo o direito que a internet finge em me dar.

🙂